Encontrar o Norte, numas férias inesquecíveis

Partilha a tua sensação
Férias. Essa bela palavra para descrever estado permanente de felicidade. Nem imaginam como me souberam tão bem as férias deste ano. O corpo pedia uma pausa há já algum tempo, e a alma ansiava por novas inspirações, novos locais, novos planos e novos sonhos. Todo o meu sistema guinchava por descanso, mas não daquele de ficar estendida no sofá. Antes pelo contrário. Precisava de abrir as janelas e voar. Foi isso que eu fiz (não literalmente) e contei com a ajuda do meu belo Portugal, que mais uma vez me presenteou com paisagens de cortar a respiração, algumas aventuras, pessoas genuinamente simpáticas, comida maravilhosa e águas salgadas de retemperar qualquer estado de shutdown. Até às férias deste ano costumava dizer: conheço meio mundo, tirando o Minho. Este ano apercebi-me que já tardava em conhecer esta região tão bela, da qual só ouvia maravilhas. Como para mim férias de verão devem acontecer com muita água salgada à mistura, a família rumou sem se fazer difícil até às praias do norte, norte mesmo norte.





Às cegas arranjámos alojamento em Vila Praia de Âncora. Em época alta, decidir tardiamente qual o destino e arranjar alojamento é um erro. Mas só vos posso assegurar que ficar hospedado em Vila Praia de Âncora, foi o mais acertado que fizemos, pois a partir deste ponto facilmente percorremos toda a costa norte de Portugal. Entrar em Vila Praia de Âncora foi como ter um sonho surreal, bonito demais, que me deixou a pele arrepiada (ou isso terá sido pela brisa fresca que corria?). Como estávamos na hora de almoço, as ruas encontravam-se desertas, o areal parecia o de uma praia paradisíaca, extenso, solitário, dourado na perfeição do sonho, a banhar-se num mar azul cristalino, sereno e a comungar com o verdejante da serra. Espera o verde da serra? Sim, leram bem. Nunca tinha estado numa praia (e acreditem que já estive em várias) colada à serra. Deitada no areal, tanto podia confinar o meu olhar ao conforto familiar do paredão rochoso e verde da montanha ou expandir o meu olhar até ao distante horizonte celestial. Foi uma das melhores sensações das férias. Uma das melhores e das mais constantes, uma vez que todas as praias que visitámos partilhavam desta comunhão com o verde montanhoso.

De Vila Praia de Âncora, saltitámos até Gelfa, Afife, Praia do Camarido e Praia da Foz do Minho, Caminha e Monte de Santa Tecla (Espanha). Usámos sempre as estradas nacionais, bonitas, sem confusões, e sempre que a sinalização indicava um ponto de interesse chamativo, saímos a da rota em busca de novas paisagens. Por exemplo, se estiverem por Caminha subam até ao Miradouro da Fraga, vão conseguir ter uma panorâmica de toda a foz do Rio Minho. Caminha foi um pau de dois bicos. Por um lado, a confluência da cidade com o rio e com a serra é de arregalar os olhos. Comer num dos restaurantes do centro histórico é também encantador. Mas, por outro lado tenho uma dica a partilhar. Não visitem Caminha em dia de feira, em época alta. Falta de estacionamento, falta de controlo do trânsito. A experiência não foi muito agradável. Todavia, se estiverem por caminha têm mesmo de visitar a Torre do Relógio e apanhar o ferryboat em direcção a espanha e também disfrutar um pouco da margem estrangeira. Para mim foi a primeira experiência num ferryboat. A viagem demora cerca de vinte minutos e sabe bem ter uma vista privilegiada sobre o Rio Minho.




Do lado de nuestros hermanos, há tanto para ver. Mas, se como nós, estiverem limitados pelo tempo, rumem até ao Monte de Santa Tecla. A paisagem é de tirar a respiração e o vento também. Sabem aquele momento em que escolheram vestir o vestido mais fresco do guarda-fatos e à vossa volta é só pessoas vestidas com casacos de inverno? Pois eu vivi este momento no Monte de santa Tecla. Mas valeu toda e qualquer pele de galinha. Neste espaço, para além das vistas, encontram um castro antigo, bem preservado, ao qual está associado um museu que também merece visita. Na realidade, para se subir ao monte é necessário pagar bilhete, mas todas estas visitas estão nele incluído. Costuma-se dizer que as coisas mais belas residem nos pormenores mais simples. Embora tenha adorado todos os momentos das férias, houve um que vai ficar para sempre na memória. Chegamos ao final do dia à Praia da Foz do Minho. Quase na hora dourada. Apanhámos o passadiço de madeira em direcção à Praia do Camarido. Ou melhor, deixámo-nos embrenhar no verde do pinhal e fomos indo, desconhecendo qual o destino, quais as cores ou os cheiros que iriamos encontrar. O cenário final foi mais que lindo. Uma praia deserta, a fazer esvoaçar os cabelos, um sol dourado mágico, ondas suaves, uma ilhota no horizonte com um forte monumental. Apreciámos aquela imagem para depois percorrermos o caminho inverso, mas pelo areal. Unindo a Praia do Camarido à Praia da Foz do Minho, onde barcos baloiçavam suavamente ao sabor da maré. Eu desdobrei a ponta mais a norte do país. Senti-me um descobridor, a conquistar o maior dos tesouros. Senti o vento a dizer-me, tu pertences a este pedaço, a este momento, a este cenário encantador. Só para verem o quão embebida eu estava neste passeio, que perdi um dos meus casacos preferidos. (Se encontrarem um casaco azul bebé, com bolinhas brancas da Throtleman é meu, faz favor). O post vai longo e apesar do norte merecer mais umas quantas palavras, também não vos quero maçar. Deixo-vos algumas dicas mais a abaixo e uma certeza de que voltarei a este paraíso na terra.



Vila Praia de Âncora
Onde Ficar: Apartamentos Turísticos Vila Praia
Onde Comer: Restaurante Verdes Lírios
O que ver/Fazer: Ir a banhos na familiar Praia de Vila Praia de Âncora, a maravilhosa Praia da Duna do Caldeirão. Visitar o Forte da Lagarteira. Fazer canoagem no rio Âncora.

Caminha
Onde Comer: Restaurante Batista (Principalmente os filetes de polvo ou o bacalhau à Braga)
O que ver/Fazer: Ir a banhos na “tropical” Praia do Camarido ou na doce Praia da Foz do Minho. Apreciar a paisagem no Miradouro da Fraga. Visitar a Torre do Relógio e passear pelo centro histórico onde encontram diversas pastelarias com iguarias de comer e chorar por mais. Apanhar o ferry-boat em direcção a Espanha.

Norte de Espanha
O que ver/ Fazer: Visitar o Monte de santa Tecla. Visitar La Guarda.
Próximo publicaçãoMensagem mais recente Publicação anteriorMensagem antiga Página inicial

0 A partilhar sensações: