Tarte de Aveia, Chocolate e Framboesas (que foi um bela surpresa)

Partilha a tua sensação
Gosto de surpresas. Só me refiro às surpresas positivas, claro. Por exemplo, chegar ao estacionamento e reparar numa multa a brilhar de contentamento no pára-brisas, isso não é de todo uma surpresa agradável. Gosto de surpresas que me façam despontar um sorriso tonto na cara, ou que me façam transbordar o coração de contentamento. Sabe bem ser surpreendida com o gesto simpático de alguém que se cruza connosco no dia-a-dia. Sabe bem ultrapassar um obstáculo, sobre o qual não tínhamos expectativas positivas. Sabe bem receber um mimo que não se estava à espera. Sabe bem encontrar nos pequenos pormenores da vida um motivo para ficar surpresa. No campo pessoal, adoro ser surpreendida com mimos e prendas. Não, não pensem que se trata apenas de consumismo. Para mim uma prenda/lembrança/mimo é muito mais do que a oferenda de um objecto ou de algo. Este acto traz com ele toda uma carga simbólica, que está relacionada com o esforço que a pessoa colocou na procura daquela prenda, ou o quanto essa pessoa nos conhece, ou por outro lado o quanto essa pessoa quer que a conheçamos. E sou grata pelo que as pessoas me dão de si.



Cá em casa, ele detesta comprar prendas. É um sufoco quando chega o Natal, ou aquela altura do ano em que vários elementos da família comemoram o aniversário (uns atrás dos outros). Mas sabem uma coisa ele põe de parte esse seu sentimento e esforça-se sempre para surpreender as pessoas. Por exemplo, o melhor livro de culinária que possuo a ele o devo. E foi oferecido numa altura em que ainda não tinha descoberto que rumo queria dar ao Reservatório de Sensações.  O blogue existia, mas servia apenas de depositário de textos relacionados com a minha área de trabalho: o jornalismo. No entanto, o bichinho pela culinária já existia dentro de mim. Num aniversário, ele ofereceu-me o livro Bolos para a Família, de Sarah Randell. Um livro que eu desconhecia por completo e que na altura só era vendido pelo Círculo de Leitores. Todavia, esta oferenda revelou-se uma verdadeira surpresa. Se eu já gostava de cozinhar, com aquela prenda tive a minha revelação. Eu iria querer cozinhar para a família, ter a casa sempre cheia. Ainda hoje, por mais livros que compre, este é o livro que eu tanto adoro e ao qual recorro tantas vezes.

Se foi uma das surpresas mais belas que já tive? Sim. Não só porque adoro o livro, mas também porque sei e senti o esforço que ele colocou em oferecer-me algo com valor simbólico, o esforço que desenvolveu para que eu percebesse que precisava de outro caminho, com mais aromas, mais texturas, mais sabores. Só lhe posso estar grata por isso!



TARTE DE AVEIA, CHOCOLATE E FRAMBOESA
Ingredientes para a base
100gr de manteiga à temperatura ambiente
40gr de açúcar refinado
150gr de farinha de aveia

Ingredientes para a calda de chocolate
200gr de chocolate negro partido em pedaços pequenos
1colher de sopa de açúcar em pó
100gr de framboesas
200ml de natas
Pistachio q.b.

Aquecemos previamente o forno à temperatura de 190ºC. Batemos a manteiga e o açúcar com uma batedeira electrica durante três a quatro minutos ou até obtermos uma pasta cremosa e esbranquiçada.  Acrescentamos a farinha de aveia e voltamos a bater durante mais alguns minutos. Caso não consigamos formar uma bola de massa, amassamos com as mãos. Deitamos no tabuleiro e comprimimos firmemente com a superfície bojuda de uma colher. O objectivo é obtermos uma camada uniforme. Com os dentes de um garfo, fazemos alguns furos na base. Levamos ao forno previamente aquecido durante 20 minutos ou até a massa ficar um pouco dourada. Deixamos arrefecer.

Para preparar a calda de chocolate, levamos as natas e o açúcar em pó a lume brando. Deixamos ferver. Vertemos as natas quentes por cima do chocolate partido. Levamos ao lume e batemos sempre até que o chocolate derreta por completo e a mistura adquira uma textura macia. Juntamos as framboesas à mistura do chocolate e deitamos por cima da base, que tem de estar completamente arrefecida. Deixamos esfriar completamente e levamos ao frigorífico durante três horas ou até a cobertura solidificar. Para servir, cortar com uma faca bem afiada e cobrir com pistachio picado em pedaços pequenos.



Próximo publicaçãoMensagem mais recente Publicação anteriorMensagem antiga Página inicial

0 A partilhar sensações: