Tarteletes de Abóbora e Canela

3 sensações partilhadas

2018 será sempre o ano em que tive a minha primeira horta. Em Abril, os meus pais construíram-me um conjunto de canteiros elevados para me dedicar um pouco à agricultura. Bem, dizer isto desta forma parece um bocado pretensioso tendo em conta a dimensão dos canteiros. São pequenos caixotes onde tenho tido a oportunidade de criar alguns legumes., como Rabanetes, Acelgas, Cenouras e Alfaces .





Como ainda sou novata nestas andanças, pensei que com a chegada do outono e com os dias frescos, que os meus simples trabalhos agrícolas iriam hibernar imediatamente. Mas Outubro é ainda o mês das colheitas. As minhas cenouras continuam a crescer viçosas nos suaves dias de Outono, uma nova série de rabanetes está pronta para ser colhida e pela primeira vez consegui cultivar as minhas próprias alfaces. Estou ansiosa por as colher.


Tenho orgulho neste meu pequeno percurso hortícola. Olho em volta, para os campos vizinhos e percebo que eles estão também nesta fase, na fase de retribuir todo o trabalho que foi investido neles. As colheitas sucedem-se, com especial destaque para as abóboras finalmente douradas, amadurecidas pelos dias de Verão que passaram. 




Olho à minha volta e tenho a sensação que no próximo ano os meus canteiros também se vão encher de abóboras. Sei que não posso criar grandes expectativas, tendo em conta o tamanho diminuto da minha horta e a minha rotina agitada, mas espero ter capacidade para investir na horta e começar a produzir cada vez mais os meus alimentos. É um desejo que tenho para 2019. Ser mais sustentável pode começar neste passo.

Enquanto não tenho as minhas próprias abóboras, delicio-me com as oferendas que me chegam a casa. Na semana passada, uma vizinha ofereceu-me uma abóbora gigante. Segundo ela, era uma abóbora pequenina. Posso-vos garantir que aquele espécime deu para sopa, congelar, doce de abóbora (um dia destes partilho a receita), muffins de chocolate e abóbora, uma tarte e tarteletes…..Portanto, sim, era uma abóbora gigante. Eu fiquei encantada com estas tarteletes maravilhosas. Acho que foram uma grande ajuda, para começar cada vez mais a sentir o espirito de Outono.


 
Tarteletes de Abóbora e Canela

Ingredientes para a massa areada:
Adaptado do livro Receitas Tipos de Massas e Outras, de Rosa Cardoso (Be Nice, Make a Cake)
275g de farinha s/fermento
100g de açúcar
150g de manteiga em cubos (fria)
2 ovos
raspa de limão

Ingredientes para o recheio:

400g de abóbora (já limpa)
2 colheres de sobremesa de canela
3 ovos
200g de açúcar
150g de farinha sem fermento
Raspa de limão


Modo de preparação:
Colocamos todos os ingredientes (excepto os ovos) num robo de cozinha e picamos até obtermos uma consistência areada. Adicionamos os ovos aos poucos até ficar uma bola. Retiramos do robo de cozinha e amassamos (ligeiramente) numa superfície plana. Envolvemos a massa em película aderente e levamos ao frigorífico durante 30 minutos. Esticamos gentilmente a massa areada com o rolo até ficar com uma espessura aproximadamente de 5mm. Forramos pequenas tarteiras, picamos o fundo com um garfo. Reservamos no frigorífico.

Num tacho colocamos a abóbora com a canela, cobrimos com água. Levamos ao lume e deixamos cozinhar até a abóbora se desfazer. Escorremos a água e transformamos a abóbora em puré. Atenção, devemos escorrer o máximo de água possível. Deixamos arrefecer por completo. Numa taça batemos bem os ovos juntamente com o açúcar. Juntamos a farinha e por fim o puré de abóbora. Mexemos bem até que os ingredientes fiquem bem incorporados.

Vertemos o recheio nas formas, já com a massa. Levamos ao forno durante cerca de 35 minutos ou até o recheio estar firme ao toque.



Próximo publicaçãoMensagem mais recente Publicação anteriorMensagem antiga Página inicial

3 A partilhar sensações:

Sophia, Mary and Mom ™ disse...

Até aqui me cheira bem. Belas fotos também. Parabéns.
Mom

Ana disse...

Obrigada. Fico tão contente quando me chega o feedback desse lado. Um beijinho grande

Sirlene disse...

Preciso fazer. Tenho aqui uma linda abóbora para ser consumida. Linda fotos, ótima receita e texto belíssimo. Beijos cá do Brasil.