Guacamole (descontraído)

Partilha a tua sensação
Escrevo este post sentada no jardim, com o manto escuro da noite sob a cabeça. O calor interior da habitação atinge níveis extenuantes, de tal ordem que prefiro estar na rua a ser cravejada de picadelas de mosquitos. Enquanto escrevo, as imagens das férias vão rodando na moldura digital (em que tantas vezes se transforma o telemóvel). Recordo os últimos dias, sossegados, relaxados, sem demais preocupações, dias em que parece que respirei mais do que o habitual (parvoíce, eu sei!).

Ai, como tinha saudades do sabor agradável do dolce far niente e do embalo salgado do oceano. Eram tantas as saudades que nem me lembrei mais de redes sociais, do blogue, do email. Sei que várias pessoas me enviaram emails durante as duas semanas que estive ausente. Sei que demorei tempo demais a responder.  Para além de um pedido de desculpas, só posso dizer que me soube pela vida, viver desamparada de tecnologias. Na verdade foi apenas uma semana fora das rotinas, fora das redes sociais, fora dos horários intermináveis, fora dos padrões esperados, fora das modas, fora das chamadas, fora dos plins das mensagens, fora da atualidade... tão fora mas tão dentro da vontade de viver, tão dentro do que deve ser prioridade, tão dentro da energia das boas pessoas, tão dentro do horário solar, tão dentro do amor. Estar fora pode ser o melhor caminho de entrada para o que de melhor temos dentro de nós, para voltar ao básico da existência, onde verdadeiramente se existe.

 


Não, não me deixei embrenhar em algum detox digital, com a aplicação xpto a bloquear os meus impulsos cibernéticos. Nada disso. Apenas não senti qualquer necessidade de recorrer ao digital para filtrar os momentos que devem ser vividos. Durante uma semana, a máquina fotográfica, os livros, as cartas do Uno, a bola de volley e algumas sestas foram a melhor companhia. Há anos que já não jogava volleyball com a família, na realidade há anos que não jogava (ponto final). Senti-me mais rica por recuperar esta sensação de estar plenamente descontraída ao pé dos meus.

Escrevo este post sentada no jardim, com o manto escuro da noite sob a cabeça. No telemóvel rodam as memórias físicas das férias. Amanhã começa o fado, das rotinas, dos horários para cumprir....talvez este meu post seja já o estágio para dar início novamente a mais um ano de muito trabalho. 
 




Guacamole (descontraído)
Ingredientes:
1 cebola roxa pequena
10g de coentros
1 tomate pequeno maduro
350g de abacate
1 lima (sumo)
½ colher de chá de sal
1 pitada de pimenta

Modo de preparação:
Num robot de cozinha, juntamos a cebola e os coentros. Picamos bem. Juntamos o tomate previamente pelado. Voltamos a triturar. Adicionamos o abacate, o sumo da lima, o sal e a pimenta. Voltamos a triturar até obtermos a consistência pretendida. Reservamos no frigorífico até ao momento de servir.
Próximo publicaçãoMensagem mais recente Publicação anteriorMensagem antiga Página inicial

0 A partilhar sensações: