Bolo da Paixão

2 sensações partilhadas
Há quem não precise de fazer história, para ficar para sempre na História. Há quem não precise de ser uma figura importante em determinada época para que fique para sempre recordada na cronologia dos factos. Existem pessoas assim. Pessoas que desde o primeiro momento em que as conhecemos, mesmo que não nos lembremos dessa ocasião, que passam a ocupar um enorme lugar nos nossos corações. O meu pai é uma dessas pessoas.


Lembro-me de desde sempre ser rotulada com a indicação de menina do papá. Aquele que adormecia a embalar o berço quando o meu monstro frequente das birras decidia a aparecer. Aquele que me segurava o cabelo quando o vomito tombava para dentro da sanita. Aquele que suportava as longas e desesperantes jogatinas de Monopólio. Aquele que ensinava a subir a pedregulhos e a voar ao sabor do vento. Aquele que preparou toda a decoração, com amor e quilos perdidos, do meu casamento. Aquele que me mostrou como estava enganada em relação à capital da Turquia. Aquele que em tenra idade minha me ofereceu um “Atlas dos adultos”, ainda com o muro de Berlim e me ensinou que as barreiras são para ser transpostas. Talvez tenham razão em me gozar. Mas na verdade o gozo é todo meu, de ter um pai grande, que ficará para sempre inscrito na minha história e visão do mundo.



O Bolo que hoje aqui apresento foi confeccionado para o Aniversário desta pessoa tão especial. E, o bolo até se pode chamar Bolo da Paixão, mas a verdade é que vai ficar para sempre associado ao amor paterno.

 Bolo da Paixão
Adaptado da revista Delicious Magazine

Ingredientes
300gr de farinha simples
1 colher de chá de fermento em pó
2 colheres de chá de bicarbonato de sódio
1 colher de chá de canela em pó
1 colher de chá de cardamomo
200gr de açúcar mascavado
250ml de óleo de girassol
3 ovos L
5 fatias de ananás em calda (finamente picadas e com o sumo drenado)
4 colheres de sopa da calda do ananás
200gr de cenoura ralada
50gr de coco desidratado
q.b. ananás cristalizado

Para a cobertura
250gr de açúcar de confeiteiro
80gr de manteiga
50gr de cacau cru
200gr de queijo cremoso

Pré-aquecemos o forno a 180º. Peneiramos a farinha, o fermento em pó, o bicarbonato de sódio e as especiarias para uma tigela grande. Noutra taça, com a ajuda de uma batedeira eléctrica, misturamos o açúcar com os ovos. Batemos durante cerca de três minutos. Adicionamos a esta mistura o óleo de girassol. Voltamos a bater para incorporar. Juntamos a farinha e o resto dos ingredientes secos aos ovos. Mexemos bem. Por fim, adicionamos as cenouras, o coco ralado e o ananás em calda. Voltamos a misturar bem. Levamos ao forno em forma untada previamente, durante 45 minutos ou até que o forno esteja firme ao toque. Retiramos do forno e deixamos arrefecer durante 10 minutos antes de transferirmos para uma base de arrefecimento. Após estar completamente frio, dividimos o bolo em duas partes e vertemos as quatro colheres da calda do ananás em cada metade. Reservamos. Para a cobertura, misturamos a manteiga e o açúcar em pó, com a ajuda de uma batedeira eléctrica, até obtermos uma mistura homogénea. Adicionamos o cacau cru e o queijo creme. Batemos novamente até conseguirmos uma pasta suave. Espalhamos um terço na cobertura sobre metade do bolo, tapamos com a segunda metade. Distribuímos a restante cobertura no topo do bolo e nos lados. Usando a borda de uma faca ou espátula raspamos o excesso de cobertura nos lados do bolo. Este bolo deve ser colocado no frigorífico e tirar 30 minutos antes de servir. Decoramos com ananás cristalizado.










Próximo publicaçãoMensagem mais recente Publicação anteriorMensagem antiga Página inicial

2 A partilhar sensações:

Tertúlia da Susy disse...

Parece-me uma maravilha, belo tributo!

A.G. disse...

Parabéns ao pai! E um beijinho com saudades desta familia linda que tão bem me recebeu nas ocasiões em que os visitei... pais incansáveis que me levaram a conhecer um cantinho de Portugal que não conhecia. Momentos que guardo com grande ternura no meu coraçao. Bjinhos grandes