Doce de Marmelo

Partilha a tua sensação
O que mais me agrada no Outono são os vários frascos e boiões com diferentes cores e texturas que se acumulam nas minhas prateleiras da cozinha. Costumo dizer em tom de brincadeira que basta abrir os armários para degustar esta estação do ano tão rica.  Rica em frutos que pedem para ser conservados.

Há muitos anos trás, num passado não tão longinquo quanto se possa pensar, coservar e guardar comida assumia-se como uma questão de garantir a sobrevivência das famílias. Mas hoje em dia essa realidade é totalmente diferente.



Nos dias de hoje, qualquer superfície comercial, mesmo um mini-mercado, apresenta uma oferta  variada de todos os tipos de alimentos e conservas. O que é uma óptima evolução, pois não nos podemos esquecer que "os velhos tempos" que tantas vezes evocamos eram sem dúvidas muito difíceis. Não vale a pena entrar em saudosismos bacocos.

Mas uma coisa é certa, apesar de todo o conforto que um supermercado nos possa proporcionar, existe uma alegria diferente e enorme quando servimos comida caseira aos amigos e familiares. Já para não falar nas oportunidades diferentes em que podemos transformar um simples petisco num manjar dos deuses.

Só há um senão, com uma variada escolha de frutos outonais, o difícil vai ser escolher quais vamos querer conservar. Este ano optei por fazer doce de marmelo. Uma delicia só vos digo.

Ingredientes
1kg de marmelos descascados e sem caroço
700gr de açúcar amarelo
sumo de dois limões
400ml de água

Deitamos numa panela de fundo grosso, os marmelos, o açúcar  e o sumo de limão e deixamos marinar durante 20 minutos. Juntamos a água. Levamos a panela a lume brando durante cerca de 30 minutos e deixamos ferver bem. Apagamos o lume e trituramos os marmelos, manualmente e grosseiramente com um garfo ou com a varinha mágica. Verificamos o ponto de consistência (ver nota abaixo). Depois de atingirmos o ponto pretendido, deixamos arreferecer durante cinco minutos. Colocamos a compota nos frascos esterilizados. Guardamos os frascos em sítio escuro e ao abrigo do calor. Depois de abertas, as compotas devem ser convervadas no frigorífico.

Ponto de consistência:
Para sabermos se atingimos o ponto de consistência da compota, devemos colocar um pires no frigorífico durante 15 minutos. Assim que acharmos que a nossa compota está no ponto, desligamos o tacho/panela e deitamos uma colher generosa da mistura quente no prato fresco e levamos ao frigorífico durante cinco minutos. Para verificarmos se está mesmo no ponto, tiramos o pires do frigorífico e empurramos uma beira da mistura com o dedo, se esta enrugar então a compota estará pronta. Se não enrugar voltamos a colocar o tacho/panela ao lume e deixamos cozinhar até ficar mais firme e depois voltamos a testar.

Próximo publicaçãoMensagem mais recente Publicação anteriorMensagem antiga Página inicial

0 A partilhar sensações: