Panquecas Irlandesas

Partilha a tua sensação
Sossegar é o verbo que tem faltado cá em casa. De tempos a tempos, a rotina manda mais que as vontades procrastinadoras ou apaixonadas pelos prazeres da vida, ou que o bom senso de quem sabe que levar uma vida a correr é meio caminho andado para arfar de descontentamento. Nessas alturas, estabeleço menos planos e baixo o índice de expectativas. Digo para mim mesma: Deita mãos à rotina e subtrai-lhe importância.



Nessas alturas, enquanto multiplico as mãos que se dividem em infinitas tarefas, suspiro alegremente, sempre com o foco apontado às boas memórias. E sonho. Sonho com os pequenos-almoços sossegados, sonho com os passeios em família, sonho em simplesmente estar. 

Vivemos numa sociedade, em os estímulos são constantes, as tarefas desenfreadas, as horas diminutas. Às vezes pergunto-me. E se por um dia nos limitássemos a respirar? E se por um dia nos limitássemos a estar sossegados com quem mais gostamos? Estariam as nossas vidas condenadas? Estariam os mercados económicos arruinados? Estariam os países em risco de aumentar o défice? Não tenho resposta para as perguntas. Mas às vezes apetece-me escalar o ruído socialmente comunitário e gritar: Parem, estão à vontade para abrandar o ritmo.





Enquanto não lanço o grito do Ipiranga, continuo em frente, equilibrando as metas que me impõem e as balizas pessoais que me apaixonam e me impelem a ser melhor.

Panquecas Irlandesas
(adaptado do livro The Farmette Cookbook)

Ingredientes
125gr de farinha
1 ovo
1 colher de sopa de manteiga derretida
200ml de leite
1 pitada de sal

Peneiramos a farinha para dentro de uma taça grande. Juntamos o sal. Fazemos um buraco no centro da farinha. Nele colocamos o ovo, a manteiga e metade do leite. Com uma colher de pau mexemos os ingredientes. À medida que vamos mexendo adicionamos o restante leite até que os ingredientes estejam bem incorporados. É fundamental obtermos uma mistura suave. Deixamos repousar durante trinta minutos. Mexemos novamente antes de usarmos. Aquecemos uma frigideira anti-aderente em lume médio. Deitamos três colheres de sopa na frigideira, ou o suficiente para preenchermos quase a frigideira toda. O objectivo é obter umas panquecas mais largas que o habitual para que possam ser dobradas. Fritamos durante uns minutos até que a massa comece a ficar dourada e firme. Soltamos a panqueca e com uma espátula viramo-la. Continuamos a cozinhar até ambos os lados estarem dourados. Servem-se recheadas com frutas ou barradas com manteiga, doces ou chocolate. Para mim a melhor combinação para servir estas panquecas é mel e frutos vermelhos. Usei mel Samelas, um novo projecto que se enquadra tanto neste meu post, um projecto que pretende viver em harmonia e em equilíbrio entre a vida moderna e a vida natural das abelhas que habitam a serra. Experimentem, acreditem, vão gostar. E acima de tudo, não se esqueçam, às vezes o mais importante é respirar.







Próximo publicaçãoMensagem mais recente Publicação anteriorMensagem antiga Página inicial

0 A partilhar sensações: