Um sonho e os seus progressos

Partilha a tua sensação





Sonhar é bom e faz bem à alma. Cliché, eu sei, mas os lugares comuns aparecem de algum lado, nem que seja do facto de experimentarmos durante muito tempo Algo que depois é transposto para frases tipo filosofia de pacotilha. Mas quem é que não sonha? Quem é que não idealiza, nem que seja por breves segundos, uma realidade, um acontecimento, uma mudança na sua vida que lhe permita atingir um maior contentamento? Este preâmbulo serve apenas para dizer que também eu sonhei há dois anos atrás que conseguiria produzir uma horta suficientemente vasta e diversificada. Nunca o disse em voz alta, mas o objectivo era começar a aprender a cuidar da terra, começar a percebê-la, para mais passar a administrá-la com sapiência. Apesar de sempre ter vivido ligada à terra, a verdade è que nunca desenvolvi a tal sapiência agrícola. E, tal como não tinha antigamente, continuo a não revelar grande entendimento do assunto. Embora eu procure sempre resolver as minhas questões e dúvidas por vezes bastante tontas junto de quem sabe (avós, pais, tios), a verdade é que senão fosse a perseverança e a paciência dos mais velhos sábios, talvez a estufa e a horta não estivessem a passar por tão boa fase. È verdade, que não posso afirmar ter atingido a quimera, ter alcançado a horta de subsistência. Mas a passo e passo, novas culturas são introduzidas, novos conhecimentos são adquiridos e o pensamento onírico vai passando à concretização. Este ano, já há ervilhas, erva-cidreira, cebolinho, um pequeno morango para amostra, amêndoas, couves-de-bruxelas (vamos ver se os pássaros não as comem), nabos, rabanetes, courguet, alfaces e tomates. A expansão, pequena é certo, denota a vontade com que todos nos reunimos em redor deste meu sonho. E porque começámos com um lugar comum, só poderia terminar dizendo que o sonho comanda a vida.

Próximo publicaçãoMensagem mais recente Publicação anteriorMensagem antiga Página inicial

0 A partilhar sensações: